quarta-feira, 5 de março de 2014

. . .








O problema daqueles que vazam, é que sua vazão os torna vulneráveis.
Não é que seja bem uma fraqueza, mas é que franqueza de mais, vaza fraquezas.
Nas inúmeras formas de vazar a alma, nem todas são lindas, nem tanto necessárias, porém, vazam.
 Porque querem, porque transborda tanto, que muita das vezes pede espaço no coração. 
Outras sobram nos olhos. Dizem por aí, que algumas se perdem em canções.
 Outras se perdem aqui, nos versos.
O problema daqueles que vazam, é que são transparentes demasiadamente.
Não todos às vezes claro, às vezes escuridão. Às vezes Luz. Outras cores. Nunca translúcidos.
Mas quem vê, pinta um quadro. Uma imagem, apenas. De alguém que todos veem, poucos compreendem.

(...)




"....Ela andou e eu fiquei ali

Ou será que fui eu que dali mudei

Com uns passos mudos

De uma reticência?"








Nenhum comentário:

Postar um comentário